UFRJ

É com profunda tristeza e pesar que comunicamos a enorme perda, no dia 09/12/11, da nossa Colega, Amiga e Companheira Profª Ana Clara Torres Ribeiro. Exemplo de ética e de rara sensibilidade humana. Leia as homenagens à Professora Ana Clara.

 AnaSocióloga, doutora em Ciências Humanas pela Universidade de São Paulo (1988), Ana Clara Torres Ribeiro foi professora Adjunta do Ippur desde 1987 e pesquisadora 1A do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Integrava o programa Cientista do Nosso Estado da Fundação de Amparo á Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).


No IPPUR, após larga experiência com o tema do movimentos sociais (coordenação de grupo de trabalho da ANPOCS, oferta de disciplina e orientação de dissertações de mestrado e teses de doutorado, além da realização de estudos e pesquisas) criou, em 1998, o Laboratório da Conjuntura Social: Tecnologia e Território (LASTRO) e a disciplina Teorias da Ação, que condensa as orientações teóricas do trabalho experimental desenvolvido pelo LASTRO, no qual desenvolveu pesquisa sistemática da Ação Social (reivindicações, protestos e lutas) em contextos metropolitanos, a proposição de novos conceitos e categorias e exercícios com a denominada cartografia da ação.

Homenagens

Gostaria que transmitisse a minha mensagem pessoal  de pesar e de todo o Departamento de História e Teoria aos colegas do IPPUR e familiares da Ana Clara, por gentileza. Tive um grande prazer de conhecê-la melhor, durante 10 dias , em 2010, na avaliação externa  da FAU-USP, junto com outros colegas.

Um conhecimento que alcançou a sua generosidade enquanto pessoa e a troca de seu saber enquanto profissional.

Cordialmente

Maria Clara Amado Martins
FAU - UFRJ
11/12/2011

Queridos amigos, profesores, colegas
 
Quisiera compartir con ustedes el homenaje que hace el Observatorio de las Metrópolis IPPUR - UFRJ  a la Profesora Ana Clara Ribeiro, quien dedico su vida a la construcción del pensamiento critico y la formación de profesionales, siempre con el propósito de construir una sociedad Brasilera más justa y democrática. La profesora Ana Clara Ribeiro falleció el pasado 9 de diciembre. Lamentamos la grande perdida. Sin duda sus aportes seguiran orientando el que hacer profesional de quienes tuvimos la honrra de conocerle, y sus contribuciones, aportando más a la comprención de nuestras realidades LatinoAmericanas.
 
Finalicemos diciendo...
 
Por que mi insistencia en autores LatinoAmericanos... permitan me compartirles esta frase del Prof. Emilio Pradilla: "Finalicemos diciendo que creemos urgente revalorizar el trabajo de los latinoamericanos, volver los ojos hacia nuestras realidades, sus particularidades y diferencias, retomar el papel crítico inherente a la teoría y a la intelectualidad, someter a revisión detallada los aportes que llegan de los países hegemónicos que, seguramente, pueden explicar su realidad pero no necesariamente la nuestra". 

Adriana Sanchez Lemus
Universidad La Grand Colômbia
10/12/2011

 

Como ex-aluna do IPPUR, quero registrar que fiquei profundamente sentida, e chocada, quando soube da morte da professora Ana Clara. Estava em São Paulo, e só abri os e-mails, hoje.
Ana Clara jamais poderia ter nos deixado, tão prematuramente. Lúcida, brilhante, preparada, terna (sem deixar de ser firme). Foi uma das melhores professoras que tive, na vida. Nunca será esquecida, e já deixa muitas saudades. Minha solidariedade aos familiares, e às demais pessoas que, como eu, tanto gostam dela.

Vera Rodrigues
12/12/2011

Não pude comparecer, mas fiquei muito triste porque a professora Ana Clara, durante o meu mestrado no IPPUR, me passou exatamente essa impressão: exemplo de ética, caráter e sensibilidade humana. 

Carlos Eduardo Ryff
11/12/2011

Estimados colegas de la RII: Recibimos la lamentable noticia del deceso de nuestra querida amiga Ana Clara Torres Ribeiro el pasado 9 de diciembre. Ana Clara era investigadora del Instituto de Investigación en Planeación Urbana y Regional de la Universidad Federal de Río de Janeiro (IPPUR/UFRJ), de donde fue fundadora, así como de la Red Iberoamericana de Investigadores sobre Globalización y Territorio (RII). Ana Clara participó con gran estusiasmo en multitud de proyectos académicos y sociales, como CLACSO y LASTROA. En este año, había sido electa como presidenta de la Asociación Nacional de Planeación Urbana y Regional (ANPUR). Su principal preocupación fueron los estudios sobre los movimientos sociales en contextos metropolitanos. Reciente, sufrió la pena de la pérdida de su hijo. Fue profesora, colega y amiga de un gran número de personas a lo largo del mundo. Esto, nos dio a todos la fortuna de conocer a un gran ser con compromiso social, con gran capacidad de trabajo y, sobre todo, dulce, comprensiva, solidaria. Nos duele profundamente su partida y ofrecemos nuestro pésame a su familia y amigos.

Sergio González López
Coordinador General de la Red Iberoamericana de Investigadores sobre Globalización y Territorio
12/12/2011

 

Aos meus amigos do IPPUR: Fiquei consternada com a morte de Ana Clara. A morte é sempre um espanto. Imagino a falta que ela vai fazer no IPPUR. Compartilho a tristeza por esta perda, tão prematura, e envio um forte abraço a cada um.

Maria Flora Gonçalves
UNICAMP
13/12/2011

Meus profundos sentimentos, Ana Clara era uma pessoa extraordinária e tive a oportunidade de conviver com ela no CONSUNI no início dos anos 2000. Uma grande perda para o país.
Ana Maria Ribeiro
Técnica-Administrativa em Educação da UFRJ
10/12/2011

Senhores professores, caros colegas e demais funcionários do IPPUR.
Hoje soube do passamento da minha grande amiga e professora Ana Clara.Lamentamos a perda irreparável.Minhas condolências a todos que fazem essa instituição.Abraços
Altair Jacinta da Silva
Professora de Sociologia na Faculdade de Ciências Sociais (UFPA/FACS)
Instituto de Ciências Humanas e Filosofia (IFCH\UFPA)/Coordenadora do Subprojeto de Incentivo a Docência(PIBID/UFPA/FACS)
12/12/2011

Prezados Pesquisadores, Professores e Toda Equipe do IPPUR,
Nós do Laboratório Territorial de Manguinhos "LTM", manifestamos nossa solidariedade neste momentode tristeza pelo falecimento da querida Professora Ana Clara Torres Ribeiro.
Ela nos presentou recentemente com a leitura atenta e com palavras carinhosas de incentivoao trabalho de companhamento do PAC Manguinhos "Um Relato Fotográfico", que será publicado em breve.
Fatima Pivetta, Lenira Zancan e Marcelo Firpo, pela equipe do LTM
Pesquisadores da LTM/ENSP/FIOCRUZ
12/12/2011

Enorme pesar y depresion causo en mi alma la infausta noticia del repentino deceso de en principio el hijo de la Prof anna Clara y hoy de su persona.
Considero una fatalidad que enluta nuestros corazones, sin embargo el ejemplo de hacer academia y el de superacion personal y el conseguir logros para los demas es que me reconforta plenamente.
Fui alumno suyo de manera paulatina durante 25 anos, y gracias a su infinito apostolado fui aceptado como su orientando para desarrollar el Post doctorado durante la presente gestion. Es mas participe en la mesa que parece ser fue la ultima intervencion academica en un seminario. internacional donde como siempre su actuacion fue lucida y brillante.
Deja un enorme vacio en mi ser y mi conocimiento, sin embargo con la comprension y apoyo del IPPUR, conseguire presentar mi trabajo final y que por supuesto estara dedicado a ella como homenaje postumo. Querido profesor, transmita a la familia IPURIANA, mi profundo pesar por esta irreparable perdida de nuestra querida profesora.
Estare presente el mes de Marzo en Rio de Janeiro oportunidad en la que visitare su tumba y depositare una flor como simbolo de eterno agradecimiento.

Un abrazo
Jorge Sainz
Universidad Mayor de San Andrés - Bolívia
13/12/2011

De mi mayor consideración:
Conmovidos con la infausta noticia del fallecimiento de la querida Profa. Ana Clara Torres Ribeiro, acaecido en Rio de Janeiro el día 9 de diciembre, deseo manifestarle a nombre de los Profesores, Investigadores y Estudiantes del Programa de Estudios de la Ciudad de la FLACSO Ecuador, nuestras más sentidas condolencias y al mismo tiempo nuestra mayor sentimiento de solidaridad y adhesión a la comunidad científica y académica de docentes, investigadores y estudiantes del Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional de la Universidad Federal de Rio do Janeiro, Brasil, donde ella fue eminente docente-investigadora, referente fundamental de reflexión académica, humanismo y compromiso por sociedades latinoamericanas más justas y democráticas.
Elevamos oraciones para que los deseos de consuelo y la solidaridad de los muchos que fueron honrados con su enseñanzas y amistad, reconforten a su familia y comunidad en este difícil trance.

Atentamente
RAMIRO ROJAS PIEROLA
Coordinador - Programa de Estudios de la Ciudad
FLACSO - Ecuardor
13/12/2011

Aos colegas de IPPUR:
Recebo muito a triste notícia da passagem da nossa professora/mestra Ana Clara. É uma perda irreparável para todos nós que tivemos a oportunidade de tê-la como professora e amiga. Daqui do meu cantinho da UnB dirigirei minhas preces e o pedido de que onde esteja seja recebida como merece.

Neio Campos
UnB
12/12/2011

Caros amigos e colegas do IPPUR. Há pouco soube do falecimento da nossa querida Professora Ana Clara Torres Ribeiro, notícia que certamente nos deixa muito tristes, além do irreparável vazio da sua inspiradora presença na nossa vida acadêmica e intelectual em toda a América Latina. Paz e glória perene para ela.
Recebam todos e todas vocês meus mais sinceros sentimentos de solidariedade.
Omar Uran
09/12/2011
Medellín-Colombia

Tive o privilégio de compartilhar momentos de aprendizado com a querida Professora Ana Clara no IPPUR. Muito dela está contido em alguns trabalhos que realizei. A professora Ana Clara era uma alma viva do IPPUR. Muito triste com sua partida. Entendo ser um dever de todos que ama e respeita o IPPUR é dar continuidade aos seus trabalhos que sempre levou com maestria.

Sérgio da Silva Castro
13/12/2011, via facebook

Aos amigos do IPPUR, a minha linda Equipe LASTRO e aos familiares da amiga e professora Ana Clara,

O dia 10 de dezembro de 2011 foi um dia de grande tristeza, pois recebi a mensagem do falecimento da pessoa mais importante para a minha formação profissional.

Ana Clara foi sem dúvida a pessoa mais brilhante que conheci, que conseguia ser mãe, mulher, professora, amiga e inúmeras outras coisas boas. Tenho certeza que Deus estava precisando muito dos conselhos dela lá em cima e fez a sua convocação, e agora está tendo uma enorme festa lá em cima para a sua chegada.

A missão da Ana acabou por aqui, mas tenho certeza que as sementes que ela plantou estão dano belos frutos e Deus me permitiu ter dentro de mim uma dessas sementes plantadas por ela. O coração ainda está pequenininho pela sua partida, porque pessoas maravilhosas e brilhantes com ela sempre farão falta nesse nosso mundo que vive com tanto desamor. Mas a vida segue e desejo muita força a todos e que o exemplo dela possa ser seguido por cada um de nós que teve a Ana em seu percurso de vida. Saudades!

Michele Nascimento
Bolsista de Iniciação Científica e de Apoio Técnico do LASTRO
13/12/2011

Queridos Amigos,

He recibido el boletín en el que anuncian el fallecimiento de Ana Clara y quiero expresarles mi más profundo pesar por esta irreparable pérdida. He conocido a Ana Clara desde hace muchísimo tiempo a través de sus tabajos y siempre he tenido un profundo respeto por su obra pero, a pesar de mis vínculos tan lejanos con los miembros de IPPUR, a Ana Clara recién tuve la oportunidad de conocerla personalmente este año, en el Congreso de Rio y puede percibir que se trataba de una académica excepcional, que gozaba de un amplio reconocimiento profesional y sobre todo de un inmenso afecto de todos sus colegas. Les envio un fuerte abrazo a todos.

Alicia Ziccardi Universidade Nacional Autonoma do México
13/12/2011

 

Amigos:

Hondo dolor pesa sobre mi con la noticia, Que triste, Sin embargo Dios tiene sus propósitos. Paz en la tumba de Ana Clara.

Dr. Arq. Max A. Arnsdorff H. 

FAADU/UMSA
La Paz - Bolivia
14/12/2011

Oh que perda, que triste. Vai deixar muita saudade. Vitor Carvalho, via facebook 09/12/2011

Uma acadêmica completa, uma pessoa fantástica. Sentirei saudades dela... Vinícius Fernandes da Silva, via facebook 09/12/2011

Acima de qualquer coisa um ser humano exemplar! Que construía não somente pelos artigos, livros, palestras, etc., mas sobretudo pelo "Estar" e pelo "Emanar" de suas ações! Ana, parabéns pelo exemplo de vida que tu foste! Eternamente Presente de Deus para essa carente e deslumbrada sociedade! Vá com Deus querida Professora e Amiga!!!

Felippe Rainha, via facebook
10/12/2011

Será sin duda bien recibida en el barrio que está del otro lado de las estrellas. Maestra siempre. Sus enseñanzas y rigurosidad academica quedaran en America Toda para recordarle.

Adriana Sanchez Lemus, via facebook
10/12/2011

Lamentável perda, descanse em paz!

Maria Alice Miranda, via facebook
11/12/2011

Estou profundamente triste com a perda da Professora Ana Clara. Aprendi muito com ela, com seu rigor acadêmico, com sua firmeza intelectual, com suas exigências... Ela teve um papel fundamental na minha constituição como socióloga e como pensadora do social. Devo muito a ela. Que descanse em paz. Será sempre lembrada com carinho e com saudade...

Chelen Fischer, via facebook
12/12/2011

Gostaria de registrar aqui o meu profundo pesar com a partida da nossa Querida e Amada Mestra Professora Ana Clara.
Ao meu ver, ainda em vida, Ana Clara alcança o qualitativo de mestra, merecimento por sua generosidade, cuidado e atenção para com todos os seus alunos, sempre disposta a orienta-los em suas pesquisas, mesmo quando estas não estavam sob sua responsabilidade.
Insisto, uma verdadeira mestra, que estimulava a pesquisa e a seriedade na vida acadêmica e, mesmo quando brava, seu lado humano esteve sempre lá, compreendendo as dificuldades e os sentimentos de seus alunos e companheiros de trabalho.
Pude me despedir dela num encontro casual poucos dias antes de ser hospitalizada. Considero com lamento que esta era hora da sua partida, pois a tristeza já havia levado sua vida.

Rosangela Carnevale

16/12/2011

Olá amigos,

Compartilho a mensagem da Equipe LASTRO em homenagem a Profa Ana Clara Torres Ribeiro.

http://lastroufrj.wordpress.com/2011/12/18/homenagem-a-profa-ana-clara-torres-ribeiro/

Peço a vocês que a divulguem nossa homenagem... Grande abraço, Vinícius

 

 

De mi mayor consideración:

Conmovidos con la inesperada noticia del fallecimiento de la Profesora Ana Clara Torres Ribeiro, acaecido en Rio de Janeiro el día 9 de diciembre, deseo manifestarle a nombre de los Profesores, Investigadores y Estudiantes del Instituto de Investigación y Postgrado de la Facultad de Arquitectura, Artes, Diseño y Urbanismo de la Universidad Mayor de San Andrés de La Paz, Bolivia, nuestras más sentidas condolencias y al mismo tiempo nuestra mayor sentimiento de solidaridad y adhesión a la comunidad científica y académica de docentes, investigadores y estudiantes del Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional de la Universidad Federal de Rio do Janeiro, Brasil. 

No podemos olvidar la visita de Ana Clara acompañada de otros profesores del IPPUR a nuestra Facultad donde ella sembró su conocimiento y amor a la reflexión académica, humanismo y compromiso por sociedades latinoamericanas más justas y democráticas, tanto como en las reuniones de la CLACSO del año pasado en Cochabamba. Asimismo, recordamos su entrega y apoyo a nuestros doctorantes de esa época, Drs. Rojas, Arnsdorff y Sainz.
Elevamos oraciones para que los deseos de consuelo y la solidaridad de los muchos que fueron honrados con su enseñanzas y amistad, reconforten a su familia y comunidad en este difícil trance.

Gaston Gallardo Dávila, Arq. Mg. Sc.

DIRECTOR IIP-FAADU
Instituto de Investigación y Postgrado
San Pedro, La Paz, Bolivia


Ana Clara Torres Ribeiro

Sexta-feira, dia 9 de dezembro de 2011 , faleceu a socióloga e professora Ana Clara Torres Ribeiro, do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, deixando uma lacuna irreparável na pesquisa das Ciências Sociais no Brasil.

Não é possível percorrer esse campo sem se deparar com a sua importante obra, que dialogava na transversalidade das disciplinas. Socióloga de formação, na sua trajetória ela foi pesquisadora da Fiocruz, professora colaboradora da Geografia da UFRJ, e recentemente havia defendido o seu exame de titular junto ao Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, IPPUR, onde era professora há quase 30 anos.

A sua pesquisa se inicia na compreensão da importância dos movimentos sociais para a transformação das condições de existência das classes populares no Brasil. Com o avançar do seu trabalho ela mostra que a cidade é palco importante da luta política, no contexto de um regime autoritário, e que institucionalidade política destes movimentos vai se dar apenas após o processo de democratização do Brasil.

Mais recentemente sua pesquisa nos mostrou que a ação social é dotada de alta complexidade e funde cultura e política, sendo que sua manifestação principal se dá especialmente no espaço urbano. Neste momento Ana Clara Torres Ribeiro faz emergir um novo campo de pesquisa nas ciências sociais, a cartografia da ação social.

A cartografia da ação tem como principal contribuição revelar que não podemos compreender a vida social na cidade em esferas delimitadas pelas disciplinas: sociologia, política, economia, história, geografia, arquitetura. Por que a existência social não pode ser dividida, ela responde por uma totalidade complexa que reúne no mesmo campo os fragmentos disciplinares produzidos pela modernidade.

Mas é como amiga, companheira e parceira de mais de 30 anos que escrevo esta homenagem. Ana Clara Torres Ribeiro foi professora, orientadora e interlocutora de centenas de mestrandos e doutorandos, milhares de estudantes de pós-graduação e inúmeros professores de diversos lugares do Brasil, da América Latina e do mundo. Tratava todos com a mesma afetuosidade e disponibilidade, do mais simples funcionário ao mais importante dirigente.

Era uma pessoa capaz de escutar e dialogar com o pensamento do outro, revelando o caminho do exercício da investigação crítica e autônoma. Mantinha-se atenta às reflexões de seus estudantes e orientandos, que assistiam ao seu curso de Métodos e Técnicas de Pesquisa, no IPPUR, acompanhando de perto a pesquisa de cada um dos 20 estudantes, lendo e relendo todos os projetos e comentando um a um.

Ana Clara trazia no seu nome, a capacidade de iluminar a complexidade da existência humana, por que lia perfeitamente a dor e a alegria do outro. Ana Clara trazia discernimento, por que era capaz de agir de forma absolutamente justa, e quando, os ânimos se acirravam, ela com sua capacidade de desfazer os conflitos apresentava cada um dos argumentos que orientavam a ação coletiva.

É seu legado que continuemos a plantar as sementes do seu pensamento, para que sua mente iluminada continue a clarear a realidade e ajudar a compreender a complexidade do mundo em que vivemos, nos orientando na direção de encontrar os caminhos da igualdade e justiça social.

Tamara Tania Cohen Egler 

Rio de Janeiro, 13 e dezembro de 2011

À professora Ana Clara e família,

Queremos expressar, com essa carta, o privilégio de termos sido suas alunas e alunos, orientandas e orientandos. Mais que professora e orientadora, Ana foi uma grande amiga. Poucos tiveram a generosidade de dividir seu conhecimento de forma brilhante e singela, mostrando que o verdadeiro papel de um mestre é ensinar aos seus aprendizes as ferramentas necessárias para produzir conhecimento, fazer Ciência com compromisso social, consciência de si e do mundo e, ao mesmo tempo, com autonomia e liberdade de criação.

Com seu exemplo de vida, nos mostrou que o conhecimento exige mais que talento, necessita dedicação, disciplina e ímpeto de superação. Com a delicadeza de seus gestos e palavras, tinha uma maneira muito especial de transformar dificuldades em algo pequeno, enxergando além das limitações, acreditando no potencial e respeitando o tempo de amadurecimento de cada um.

Como orientando(a) sentíamos em sua pessoa um porto seguro porque seu compromisso com a formação do aluno(a) era exigente e integral. Por outro lado, essa atitude despertava em nós um sentimento de responsabilidade com o trabalho intelectual. Com ela, aprendemos os primeiros passos de uma pesquisa, sua importância e seus desafios. Não é possível esquecer suas dicas humoradas e várias de suas expressões que nos animavam a seguir sempre em frente.

Agradecemos o privilégio de ter partilhado com a nossa querida amiga suas sonoras risadas, sua polidez, sua sensibilidade e inquietude. Nos últimos anos, em suas mensagens, Ana sempre se despedia com o lema Viva a Vida. Interpretamos esta frase como uma celebração à vida, à esperança e à alegria, mas também como um chamamento a seguir em frente com determinação e coragem na luta por um conhecimento socialmente comprometido, solidário e livre como incansavelmente buscou Ana Clara.

Num momento em que boa parte da sociedade prega a indiferença e a descrença com o outro, seu exemplo nos conduziu no sentido contrário. Num momento em que a sociedade instiga e produz a rapidez e competitividade, suas palavras valorizavam o conhecimento cotidiano e o ritmo lento. Num momento em que todos se conformam com o sistema vigente sua teoria e prática nos direcionam para a ação combativa contra as desigualdades. Para tal, usava sem piedade sua arma mais poderosa, desconcertante e eficaz: a sensibilidade e delicadeza.

Cada um de nós guarda confidências e lembranças, algumas delas mesmo indizíveis. E levamos a oportunidade, ou quem sabe a responsabilidade, de termos compartilhado essa experiência acadêmica e de vida plena. Mais uma vez, obrigada Ana Clara!

Alice Lourenço
Beatriz Filgueiras
Marina A. Xavier
Rodolfo Fonseca
Simone A. Polli

24/12/2011

 

mestra maestra (ou, o q ela fazia era música)

³(...) descobri q o q faço é música e q música não é ³uma das artes² mas a síntese da consequência da descoberta do corpo (...)² Hélio Oiticica (o q eu faço é música)

Ana Clara era a madrinha do nosso grupo de pesquisa na Bahia, ela nos incentivou à reestruturar o grupo, criar linhas de pesquisa, nos reconhecer
de fato como um grupo. Generosa como sempre, ela nos ajudou nesta reformulação, participou ativamente de nossos seminários, encontros,
publicações, projetos de pesquisa, defesas de dissertações e de teses,sempre com um enorme entusiasmo que nos contagiava. Ela era nossa madrinha da bateria. Uma bateria de tamanha multiplicidade de dissônancias e atonalidades que só uma verdadeira maestra conseguiria perceber ali, antes de nós mesmos, uma harmonia de conjunto e, mais do que isso, reconhecer as singularidades e diferenças de cada um, cada clave singular de nosso arranjo precário e instável.

Ana Clara além de mestra era uma maestra, uma regente corporificada. Nunca deixou de fazer música. Formada pelo Conservatório Brasileiro em harmonia,contraponto e composição, ela nunca deixou de compor. Compunha com conceitos, ideias e palavras. Compunha textos, aulas e palestras. Compunha com a sociologia, a geografia e o urbanismo. Compunha com os ritmos, temas e melodias da experiência urbana. E, além de compor, ela regia corporalmente,como sua própria forma de ação no mundo. Uma grande maestrina mestre, mestre na compreensão das micro-conjunturas, mestre na escuta do Outro, maestrina da experiência da alteridade. Regia a fala do Outro, dos tantos outros, mas ao invés de partituras, ela tecia cartografias. Cartografias das escutas do Outro, das resistências e das insurgências. Cartografias das ações, da vida
coletiva e da vida vivida.

Viva a Vida!

Paola Berenstein Jacques, Rio de Janeiro, Natal de 2011.
Coordenadora do grupo Laboratório Urbano [PPG-AU/FAUFBA]

Foto:


Ana Clara no último encontro CORPOCIDADE no Centro de Artes da Maré -novembro 2010

E-mail Imprimir PDF

Av. Pedro Calmon, nº 550 - Prédio da Reitoria
5º andar Cidade Universitária - Rio de Janeiro
Telefone: 21 2598-1923/1673, Fax: 21 2598-1923